Aprofir

A Associação dos Produtores de Feijão, Pulses, Grãos Especiais e Irrigantes de Mato Grosso (APROFIR), participou nos dias 12 e 13 de dezembro, da 12ª edição XII GEO Políticas, em Cuiabá, onde foi representada pelo engenheiro agrônomo e coordenador de Sensoriamento e Inteligência Territorial da APROFIR, Gabriel Mancilla. 

Na oportunidade, Mancilla abordou o tema: “Cadastro físico ambiental e fundiário do setor de irrigação no MT”. Incialmente apresentou o histórico de evolução da APROFIR desde a sua criação até os dias atuais, destacando o trabalho institucional em prol da agricultura irrigante em Mato Grosso com participação em câmaras temáticas e conselhos, a inserção de novas culturas, criação de polos de irrigação, pesquisas e atualmente em parceria com o Governo do Estado desenvolvendo um estudo de inteligência territorial e hídrica da agricultura irrigada de Mato Grosso. 

Na apresentação, o coordenador de Sensoriamento e Inteligência Territorial da APROFIR MT, explicou também que a Associação trabalha para que o grande volume de informações e sua ampla base de dados sobre a agricultura irrigada seja inserida em uma plataforma pública e de livre acesso. “Estamos desenvolvendo o nosso banco de dados neste sentido, acreditando no mapeamento social para poder transferir estas informações de campo para este banco de dados social, aberto onde todos possam utiliza-lo. Há um modelo já, que é o PGRS, que está sendo praticado aqui no estado, onde está sento usado tanto por técnicos de fora como pelos da SEMA-MT, com tudo internalizado e por apenas um link. Então ficou muito prático essa transferência de dados e informações”, concluiu.

O evento contou com a participações de pesquisadores, profissionais, estudantes, professores, empresários e comunidades que teve em sua programação sete eixos principais : 1) Desenvolvimento sustentável, mudanças climáticas e gestão dos recursos hídricos; 2) Defesa civil e a gestão de cidades; 3) Cartas geotécnicas e zoneamento territorial; 4) Gestão de recursos hídricos; 5) Bases de dados e gestão territorial; 6) Importância dos dados técnicos para o setor privado; e 7) Os desafios do Brasil até a COP 30.

O evento foi organizado pela Associação dos Geólogos de Cuiabá (Geoclube), Associação Dos Profissionais Geólogos Do Estado De Mato Grosso (Agemat) e a Federação Brasileira de Geólogos (Febrageo), e ocorreu  no Auditório do Instituto de Computação, da Universidade Federal de Mato Grosso(UFMT), Campus Cuiabá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 3 =